Público: Apoio aos artistas: uma linha de emergência de ficção a tentar forçar a realidade

A iniciativa que o grupo Acção Cooperativista lança esta segunda-feira na internet poderia ter um preâmbulo como aqueles que às vezes surgem nos filmes: “Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência”. Na verdade, a abertura de uma intitulada “Linha de Apoio de Emergência ao Sector das Artes”, no site da Direcção-Geral da Artes (DGArtes) relativo às candidaturas ao programa de apoios a projectos de Criação e Edição, não é mais do que um exercício de ficção, um novo gesto de denúncia do quadro de emergência em que actualmente vivem os profissionais das artes e da cultura. Um asterisco ligado ao título desta acção de infiltração no site da DGArtes avisa, de resto, que a “candidatura” a subscrever diz respeito a uma “bolsa ficcional de protecção e subsistência de profissionais do sector da cultura e das artes que tiveram a sua vida e o seu trabalho afectados pelo impacto da pandemia” da covid-19.